Bem Vindo ao Tribuna do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

Wagner cobra explicações sobre ação da Abin durante a 25ª Conferência do Clima

Publicado em: 19/10/2020
Wagner cobra explicações sobre ação da Abin durante a 25ª Conferência do Clima

Foto: Elias Dantas / Ag. Haack / Bahia Notícias

O senador Jaques Wagner (PT) apresentou requerimento solicitando que o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) apresente informações acerca da ação da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), durante a 25ª Conferência do Clima (COP) da Organização das Nações Unidas. Pela solicitação de Wagner, o ministro Augusto Heleno deverá explicar, por exemplo, como agiram os agentes do órgão e se a operação foi em defesa dos interesses da nação ou do governo, que claramente não cumpre o mandamento constitucional da defesa do meio ambiente.

 

“Como noticiado pela imprensa, agentes da Abin estiveram presentes, pela primeira vez na história, numa conferência do clima da ONU. Ambientalistas se sentiram intimidados diante do monitoramento de sua atuação, especialmente denunciando a falta de ação do governo brasileiro diante dos desmatamento e queimadas, entre outros”, descartou Wagner.

 

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, admitiu que a Abin monitorou participantes da Cúpula do Clima das Nações Unidas (COP 25), realizada em Madri, em dezembro de 2019.

 

Em sua conta no Twitter, ele escreveu que o órgão deve acompanhar campanhas internacionais apoiadas por “maus brasileiros”, que o governo Jair Bolsonaro entende como prejudiciais ao Brasil.

 

A informação, como destacou o Wagner, foi inclusive confirmada pelo ministro. “Porém, essa não é a função da Abin. O órgão não pode servir de instrumento para a defesa dos interesses políticos específicos dos governantes de plantão. O Congresso Nacional precisa realizar uma fiscalização independente e soberana sobre essa surpreendente operação na COP 25, conferência realizada de forma inteiramente transparente”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *